“A comunicação científica e o movimento de acesso livre ao conhecimento”

Neste artigo, mais propriamente no ponto “A Crise dos Periódicos e a promessa do acesso livre ao conhecimento científico” refere quando surgiu a crise dos periódicos, onde as bibliotecas universitárias começaram a ver a impossibilidade de publicar as suas colecções de periódicos. Assim, foi necessário arranjar alternativas para esta crise, de modo a que começasse a existir acesso livre à informação, como os pré-prints (versões iniciais dos artigos antes de serem oficialmente publicados) que permitiam o alcance da informação em física e em outras áreas.

Em relação ao ponto seguinte, “Novas formas de publicação e acesso à pesquisa” refere que os periódicos electrónicos sugiram na década de 90, sendo os canais mais importantes de livre acesso classificados em 4 tipos: periódicos científicos electrónicos com avaliação prévia pelos pares; servidor de e-prints para áreas específicas; repositório para assuntos específicos; repositórios institucionais de universidades específicas e auto arquivamento em páginas pessoais dos autores.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s